DANCINHA

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

INDICAÇÃO FORA DE CONTEXTO


DERZU USALA

Produção soviética dirigida por Akira Kurosawa


TEMA

As questões filosóficas centrais são as da integração cósmica do homem com seu ambiente natural e da consciência torturada pela crença de que esse pacto de harmonia foi rompido. O tema, desdobrado, engloba a preocupação de preservação do meio-ambiente. O filme enfoca também a amizade e admiração entre dois homens de culturas diferentes.


ENREDO

Derzu Usala é um velho caçador nômade, perfeitamente integrado às florestas e lagos gelados da região de Chtokovo, no território de Ussuri: ele percebe e interpreta todos as pequenas alterações ocorridas no seu "habitat"; identifica passagens de pessoas e animais; considera gente o sol, o fogo, o vento, a água, os animais; relaciona-se com todos em total equilíbrio; reconhece-lhes o comportamento; atribui-lhes mudanças de humor; sabe dos problemas íntimos das pessoas que habitam aqueles ermos.

Numa noite, em 1902, ele encontra um destacamento militar russo, comandado pelo Capitão Arseniev, que faz o levantamento topográfico da região; conta que toda a sua família morreu de varíola; revela habilidade com as armas e conhecimento do lugar, sendo contratado como guia.

Derzu e Arseniev, sozinhos, perdem-se na planura árida e uniforme do pântano congelado, porque o vento apaga seus rastros. Entardece e logo o frio da noite os matará, se não se protegerem. Derzu corta grande quantidade de capim alto e seco e faz, em torno do teodolito, um grande mote, sob o qual se abrigam extenuados. A habilidade solidária, a presença de espírito, a intimidade com o ambiente inóspito do humilde Derzu salvam a vida do jovem capitão. Inicia-se, assim, uma sólida amizade entre eles.

Despedem-se e reencontram-se em 1907 para novos levantamentos topográficos e perigosas aventuras: combatem bandidos unhuzes, que matam os aldeões e lhes roubam as mulheres; são apanhados pela correnteza do rio, numa jangada; tiram fotografias e caçam juntos.

Um dia, Derzu, confuso, atira em Amba, o tigre, e passa a sentir medo que Canga, o espírito da floresta, não mais o queira vivendo nessa "taiga". O velho guia torna-se nervoso e deprimido.

Arseniev percebe os sinais da senilidade e o leva para morar com sua família na cidade.

A mulher e o filho do capitão se afeiçoam ao hóspede, mas ele entra em conflito com os hábitos urbanos. Deslocado e infeliz, quer voltar à sua "taiga".

Na despedida, Arseniev presenteia-lhe uma espingarda. Tempos depois, o militar é chamado a reconhecer um morto que porta o seu cartão de visita; um policial conclui que Derzu deve ter sido assassinado pelo ladrão de sua espingarda. Arseniev assiste o sepultamento do amigo fiel.


ASPECTOS CINEMATOGRÁFICOS

Akira Kurosawa dirigiu vários clássicos do cinema ("Os Sete Samurais", "Yojimbo", "Trono Manchado de Sangue", "Kagemusha - a Sombra do Samurai", "Ran"), filmes profundamente japoneses, muito apreciados no ocidente. Homem sensível e amargurado, Kurosawa tenta o suicídio e, recuperado, realiza Derzu Usala, obra cheia de significados filosóficos.

O ritmo lento, as seqüências demoradas, a câmara estática são reflexos de um universo meditativo que nada têm a ver com a agitação de nossas cidades; e permitem apreciar a sutileza dos sentimentos das personagens e a bela fotografia, que valoriza as florestas nevadas, as planuras silenciosas do pântano e do lago congelados, a vegetação rasteira e ressecada, a névoa azul e as rajadas de vento que açoitam as silhuetas humanas, o brilho solar do entardecer, refletido em superfícies úmidas.


INDICAÇÕES

Para as Áreas de Estudos Sociais (Integração do homem ao meio-ambiente, conflito entre as culturas rurais e urbanas, preservação do meio-ambiente); Comunicação e expressão (contato e entendimento entre culturas diferentes, valores universais da amizade e da solidariedade); Educação Artística (o universo mítico e o imaginário popular).


Professor Reynuncio N. de Lima - Ex-professor de Teatro da Escola Técnica Federal de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário