DANCINHA

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Como um vídeo vira sucesso no YouTube


Pesquisadores da Escola Politécnica Federal de Zurique explicam com métodos matemáticos como vídeos publicados no Youtube se transformam em sucesso de público.

Com base nesse modelo, eles pretendem desenvolver um sistema de monitoriamento do comportamento dos usuários e das tendências na internet.

O YouTube é um gigantesco arquivo de vídeos e um celeiro de informações para quem estuda os mecanismos de audiência em redes sociais. Os pesquisadores Riley Crane e Didier Sornette, da Escola Politécnica Federal de Zurique (ETH), acabam de descrever o "comportamento de rebanho" (herding) dos usuários dessas redes a partir de modelos matemáticos.

Eles buscaram respostas para a seguinte questão: por que alguns vídeos de autores antes desconhecidos no YouTube, como o Evolution of Dance, do comediante norte-americano Judson Laipply, são vistos milhões de vezes em apenas algumas semanas enquanto 90% têm apenas alguns espectadores?

O estudo mostra que a audiência, nesse caso, segue determinados modelos que se repetem. Em artigo publicado na revista científica PNAS, Crane conta que analisou durante dois anos, com um software próprio, os números de espectadores de 5 milhões de vídeos no YouTube.

Ele se concentrou nos vídeos com maior audiência, aqueles que foram vistos pelo menos 100 vezes por dia, que representam apenas 10% do total. Estes ele dividiu em três categorias.

"Epidemia" eletrônica

Vídeos "junk" geram uma audiência surpreendentemente alta, mas apenas por um curto período. Eles não desenvolvem uma dinâmica própria, uma pressão para "seguir o rebanho" da comunidade do YouTube.

Diferentemente dos vídeos "virais", que se espalham como uma epidemia nas redes sociais, através de recomendações feitas por emails, blogs ou links. Foi o que ocorreu, por exemplo, com um vídeo de publicidade do novo filme de Harry Potter.

A terceira categoria, a dos vídeos de "qualidade", é semelhante aos "virais". Em vez de um lento aumento do número de espectadores, eles têm uma explosão de audiência devido à sua qualidade, sua popularidade aumenta rapidamente e depois diminui lentamente. Foi o caso de alguns vídeos sobre o tsunami ocorrido no Sudeste Asiático, no Natal de 2004.

Leis da Física

Crane estabeleceu uma relação entre o pico de audiência dos vídeos "virais" e de "qualidade" e a audiência total nos dois anos. "Representamos os números em diagramas e constatamos que as curvas de aumento e diminuição da audiência dos dois tipos de vídeos tinham uma forma característica. A capacidade de um vídeo se tornar um sucesso na comunidade do YouTube pode ser deduzida da forma da curva", diz Crane.

Ele descobriu, por exemplo, que a perda de audiência de vídeos "virais" pode ser descrita com modelos matemáticos usados para descrição dos pequenos abalos sísmicos que sucedem a um grande terremoto.

"É fascinante que um sistema social aparentemente funcione pelas mesmas regras de um sistema físico e assim se torne matematicamente compreensível", afirma Crane no site ETH Life, publicação eletrônica da Escola Politécnica Federal de Zurique.

Com o modelo por ele desenvolvido, é possível perceber, a partir de tendências de crescimento da audiência, se um determinado vídeo é predestinado ao sucesso no YouTube. Isso antes de essa evolução ocorrer de fato.

Instrumento de marketing

Os resultados do estudo são interessantes para o marketing, por exemplo, para monitorar em tempo real a venda de livros via internet. Com a constante comparação dos dados, os marqueteiros podem ver antecipadamente qual livro tem potencial para virar um best-seller e servir de orientação para os investimentos em publicidade da obra.

Crane e Didier Sornette, professor do Departamento de Gerenciamento, Tecnologia e Economia da ETH, negociam uma integração desse sistema à livraria eletrônica Amazon. Num próximo passo, os dois pesquisadores querem aperfeiçoar o próprio modelo, fazendo uma comparação com modelos matemáticos usados na epidemiologia.

Em médio prazo, eles querem desenvolver um sistema de monitoramento de tendências na internet, com o qual poderiam ser previstos fenômenos das redes sociais em diferentes plataformas da rede mundial de computadores.

swissinfo, Geraldo Hoffmann

Nenhum comentário:

Postar um comentário