DANCINHA

sábado, 8 de outubro de 2011

Cafés holandeses enfrentam novas restrições à venda de cannabis


AMSTERDAM, 8 de outubro (Reuters) - Os cafés da Holanda ficaram sem saber como cumprir as restrições anunciadas pelo governo holandês, sobre a venda de cannabis "forte", dizendo que a vigilância seria difícil por causa das leis sobre a produção.


A Holanda é famosa por suas políticas liberais em relação às drogas consideradas "suaves". Um cidadão holandês pode cultivar até cinco pés de cannabis em casa para o seu uso pessoal, mas a produção em larga escala e o seu transporte são considerados um crime.

Na sexta-feira, o governo de coalizão disse que está tentando proibir o que são considerados tipos muito potentes de cannabis, conhecidos como "skunk" - colocando-a na mesma categoria de drogas mais "pesadas", como a heroína e a cocaína.

Mas a indústria disse que as diretrizes não eram bastante claras.

"Os produtores comerciais da cannabis, já estão infringindo a lei, então de que forma a fiscalização pode ser considerada legal? O que os cafés precisam fazer, não ficou claro", disse Maurice Veldan, um advogado da Associação Varejista de cannabis, que representa os cafés na Justiça.

Uma pioneira das políticas liberais para drogas, a Holanda tem voltado atrás na sua tolerância, nos últimos anos, anunciando planos, em maio, de proibir a presença de turistas nos cafés, que são atrações populares em cidades como Amsterdã.

O governo disse que agora vai proibir a venda de cannabis, cuja concentração de THC, considerada a principal substância psicoativa, exceder 15 por cento.

A concentração média de THC na cannabis vendida nos cafés holandeses está entre 16 e 18 por cento, de acordo com o Trimbos Institute.

"Tudo isso vai fazer com que as pessoas fumem mais e eu vou vender mais. Mas, como costumava ser com o tabaco, isso vai prejudicar ainda mais a saúde delas," disse Marc Josemans, que é dono de um café na cidade de Maastricht.

O governo holandês, que a dosagem alta de THC é prejudicial à saúde mental, especialmente quando consumida por jovens, e o que está tentando fazer é enviar um sinal claro de que a cannabis forte representa um risco inaceitável, para os usuários.

Um comentário:

  1. Acho muito bem fumar, se somos livres de fazermos o que quisermos também temos o direito de fumar o que quiseres e onde quisermos

    ResponderExcluir