domingo, 31 de julho de 2011

Fatura da privatização assusta população de Uruguaiana


O aumento foi efetivado em todas as cidades privatizadas
Um mês após a privatização do abastecimento de água e do serviço de esgoto, os moradores de Uruguaiana levaram um susto. A maioria das contas sofreu aumento, contrariando as promessas de redução da tarifa, feitas pela prefeitura e da empresa Foz do Brasil.
 
As reclamações dos usuários foram parar na imprensa local. O jornal A Cidade publicou matéria em que revela a insatisfação dos moradores e o caso de um cliente que gastou apenas um metro cúbico de água e teve que pagar R$ 33,00.
 
Essa é a demonstração prática do equívoco de prefeitos que desejam abandonar a Corsan e privatizar os serviços de abastecimento de água e de tratamento de esgoto em seus municípios.
 

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Porto Alegre: Capital líder de solitários

Trabalho de Jeeck Trarton


O Censo Demográfico do IBGE 2010 revelou que Porto Alegre lidera o ranking de capitais com apenas um habitante por domicílio, o que segue tendência internacional, na qual cada vez menos gente divide o mesmo teto.

Segundo o Censo, 21,6% dos domicílios da Capital abrigam apenas um morador.

No total dos municípios brasileiros, a maior média é de Herval, no sul do Estado, onde 26,6% dos moradores vivem sozinhos.

Em 1960, a média de moradores por domicílio era de 5,3 pessoas. Cinquenta anos depois, caiu para 3,3. 

Ainda assim, é bem maior do que a proporção em países europeus e nos EUA: de 2,5. 

Reflexiones políticas sobre la tragedia noruega


Aslak Sira Myhre · · · · · 

Como cualquier otro ciudadano de Oslo, vagué por las calles y los edificios atacados. He visitado incluso la isla en la que fueron masacrados los jóvenes activistas políticos. Comparto el sentimiento de miedo y de dolor de mi país. Pero la cuestión sigue siendo por qué: esa violencia no fue ciega.

El terror en Noruega no ha venido de extremistas islámicos. Tampoco de la extrema izquierda, aunque ambos han sido acusados una y otra vez de constituir una amenaza interna para "nuestro modo de vida". Hasta ahora, incluyendo las terribles horas de la tarde del 22 de julio, el poco terrorismo que ha conocido mi país ha venido siempre de la  extrema derecha.

Durante décadas, la violencia política en este país ha sido privilegio prácticamente exclusivo de los neonazis y otros grupos racistas. En los 70 atentaron con explosivos contra librerías de izquierda y contra una manifestación del Primero de Mayo. En los 80, dos neonazis fueron ejecutados bajo sospecha de haber traicionado a su grupúsculo. En las dos últimas décadas, dos jóvenes noruegos no-blancos murieron a causa de ataques racistas. Ningún grupo extranjero ha matado o herido a personas en territorio noruego, excepción hecha del servicio secreto de Israel, el Mosad, que asesinó por error a un inocente en Lillehammer en 1973.

Sin embargo, y a pesar de esos elocuentes antecedentes, cuando ahora nos golpeó este devastador terrorismo, las sospechas recayeron inmediatamente en el mundo islámico. Eran los jihadistas. Tenían que ser ellos.
Se denunció sin tardanza un ataque a Noruega, a nuestro modo de vida. Tan pronto se conoció la noticia, muchachas vestidas con hijabs y de apariencia árabe fueron acosadas por las calles de Oslo.

Natural. Durante al menos 10 años se nos ha contado que el terror viene del Este. Que un árabe es, por serlo, sospechoso; que todos los musulmanes están marcados. Regularmente, vemos cómo la seguridad aeroportuaria examina a gente de color en cuartos aparte; hay infinitos debates sobre los límites de "nuestra" tolerancia. En la medida en que el mundo islámico se ha convertido en "el Otro", hemos empezado a pensar que lo que les distingue a "ellos" de "nosotros" es la capacidad para matar civiles a sangre fría.

Hay, huelga decirlo, otra razón para que todo el mundo esté pendiente de al-Qaeda. Noruega ha sido parte en la Guerra de Afganistán durante 10 años, durante algún tiempo intervinimos también en la Guerra de Irak y ahora tiramos bombas sobre Trípoli. Cuando participas durante tanto tiempo en guerras foráneas, puede llegar un momento en que la guerra te visite a domicilio. 

Mas, aun cuando todos sabíamos eso, apenas se mencionó la guerra cuando sufrimos el ataque terrorista. Nuestra primera respuesta arraigaba en la irracionalidad: tenían que ser "ellos". Yo temía que la guerra que librábamos en el exterior pudiera llegar a Noruega. ¿Y entonces, qué? ¿Qué pasaría con nuestra sociedad? ¿Con nuestra tolerancia, con nuestro debate público, y sobre todo, con nuestros inmigrantes y sus hijos nacidos en Noruega?

Pero no fue así. Una vez más, el corazón de las tinieblas anida en lo más hondo de nosotros mismos. El terrorista era un varón blanco nórdico. No un musulmán, sino un musulmanófobo.

Tan pronto quedó eso claro, la carnicería comenzó a ser discutida como obra de un loco; dejó de verse como un ataque a nuestra sociedad. Cambió la retórica; los titulares de los periódicos desplazaron el foco. Nadie habla ya de guerra. Se habla de un "terrorista", en singular, no en plural: un individuo particular, no un indefinido grupo fácilmente generalizable para incluir a simpatizantes o a cualquiera que caiga bajo una fantasía arbitraria. El terrible acto es ahora oficialmente una tragedia nacional. La cuestión es: ¿habría ocurrido igual de ser el autor un loco, pero de origen islámico?

Yo también estoy convencido de que el asesino está loco. Para cazar y ejecutar a adolescentes en una isla durante una hora, tienes que haber perdido la chaveta. Pero, lo mismo que en el caso del 11 de septiembre de 2001 o en el caso de las bombas en el metro de Londres, se trata de locura con causa, una causa que es tanto clínica como política.

Cualquiera que haya echado un vistazo a las páginas Web de los grupos racistas, o seguido los debates online de los periódicos noruegos, se habrá percatado de la furia con que se difunde la islamofobia; del odio venenoso con que escritores anónimos escupen contra los "pijoprogres" antirracistas y contra toda la izquierda política. El terrorista del 22 de julio participaba en esos debates. Ha sido un miembro activo de uno de los grandes partidos políticos noruegos, el partido populista de derecha Partido de Progreso noruego. Lo abandonó en 2006 y buscó su ideología en la comunidad de grupos antiislamistas de Internet. 

Cuando el mundo creía que esto era obra del terrorismo islamista internacional, todos los hombres de Estado, desde Obama hasta Cameron, dijeron que estaban al lado de Noruega en nuestra lucha contra el terrorismo. Y ahora, ¿en qué consiste la lucha? Todos los dirigentes occidentales tienen el mismo problema dentro de sus fronteras. ¿Librarán una guerra contra el creciente extremismo de derecha, contra la islamofobia y el racismo?
Unas horas después de estallar la bomba, el primer ministro noruego, Jens Stoltenberg, dijo que nuestra respuesta al ataque debería de ser más democracia y más apertura. Si se compara con la respuesta de Bush a los ataques del 11 de septiembre, hay razones para sentirse orgullosos. Pero tras la más terrible experiencia que haya conocido Noruega desde el final de la II Guerra Mundial, a mí me gustaría ir más lejos. Es necesario tomar pie en este trágico incidente para lanzar una ofensiva contra la intolerancia, el racismo y el odio, crecientes no sólo en Noruega, no sólo en Escandinavia, sino en toda Europa.  

Aslak Sira Myhre es un escritor noruego, director de la Casa de Literatura en Oslo y exdirigente de la Alianza Electoral Roja noruega.  

Traducción para www.sinpermiso.info: Mínima Estrella

sinpermiso electrónico se ofrece semanalmente de forma gratuita. No recibe ningún tipo  de subvención pública ni privada, y su existencia sólo es posible gracias al trabajo voluntario de sus colaboradores y a las donaciones altruistas de sus lectores. Si le ha interesado este artículo, considere la posibilidad de contribuir al desarrollo de este proyecto político-cultural realizando una DONACIÓN o haciendo una SUSCRIPCIÓN a la REVISTA SEMESTRAL impresa.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Arizona lanza su sitio xenofobia.com


El proyecto pretende recaudar 50 millones de dólares para una faena de la que se ocuparán reclusos de prisiones estatales. Alrededor del 41 por ciento son de origen hispano como los mexicanos y centroamericanos que se pretende filtrar.

Por Gustavo Veiga, para Página/12

 
Captura de imagen de la página web para las donaciones libres de impuestos.
 
El estado de Arizona tiene una extensión geográfica comparable a la de Italia (es apenas más pequeño), pero su política es tributaria de la Sudáfrica del Apartheid y las peores tradiciones xenófobas. Su gobernadora Jan Brewer acaba de lanzar un sitio en Internet (www.buildtheborderfence.com) para recibir donaciones que permitan levantar un muro antiinmigrantes. El proyecto, una iniciativa de su aliado, el senador republicano Steve Smith, pretende recaudar 50 millones de dólares para una faena de la que se ocuparán reclusos de prisiones estatales. Alrededor del 41 por ciento son de origen hispano, como los mexicanos y centroamericanos que se pretende filtrar. A cada preso se le pagaría 50 centavos de dólar la hora. Esta mano de obra barata deberá construir un paredón de hormigón coronado con alambre de púas a lo largo de 131 kilómetros. El propósito de tapiar la frontera encierra también una paradoja de la historia. De los 2.263.866 kilómetros cuadrados que Estados Unidos le arrebató a México en el siglo XIX mediante sucesivas invasiones, Arizona constituye algo más del 10 por ciento. En esa época, la corriente, migratoria era al revés: del norte al sur. También la forma de atravesar los territorios. Los colonos de antaño tomaron a tiros lo que hoy son Texas, California, Nuevo México, Nevada, Utah y Colorado. Los migrantes de hoy apenas viajan con lo puesto hacia lo que creen es la tierra prometida.

La página de la gobernación de Arizona interroga al visitante: ¿Acaso esto es una frontera segura? La fotografía de fondo sobre la que se escribió la pregunta muestra una fila de pilotes sobre un terreno arenoso. Parece un páramo. No hay nadie a la vista. Ni integrantes de la Guardia Nacional estadounidense, ni los disueltos Minuteman (grupos civiles antiinmigrantes), ni los cuerpos macilentos de quienes se lanzan a cruzar esa especie de Línea Maginot desde Sonora. La imagen intenta meter miedo. Y cautivar donantes para el emprendimiento que entusiasma a Smith, su mentor: “Estado por estado, la gente está respondiendo, porque no es sólo un problema de Arizona. Está viendo el efecto de los inmigrantes ilegales en su propio estado también”.

Con la zanahoria de que los aportantes podrán deducir su donativo del pago de impuestos, la página “Construir el muro en la frontera” invita a levantarlo de dos maneras: mediante transferencias on line o el pago con cheques a la orden de la gobernación. Los montos sugeridos van desde los cinco dólares –lo mínimo permitido– a los mil y se pueden depositar o pagar mediante tarjetas MasterCard, American Express o Discover Card a la orden de The border Security Trust Fund.

“Hemos recibido una avalancha de respuestas positivas al plan”, se ufanó Smith, quien promete certificados con la inscripción “I helped build the Arizona wall” (Yo ayudé a construir el muro de Arizona) para los que acompañen con su dinero la iniciativa de blindar la frontera. “Si podemos recaudar 50 millones, será un comienzo fabuloso”, dijo el senador.

Brewer y su socio republicano se quejan porque (argumentan) desde México llegan narcotraficantes, terroristas e inmigrantes indocumentados como si todos pertenecieran a la misma especie de indeseables. En la web que ya recauda fondos para el muro, y donde dice “Tu ayuda es necesaria”, Smith escribió: “Uno de los problemas más graves que tiene hoy América (¿?) es la falta de seguridad y control a lo largo del país y, en especial, en el límite con México. Esta falla permitió la invasión de carteles de la droga, pandillas violentas, una cantidad aproximada de 20 millones de inmigrantes ilegales y hasta terroristas”.

La página informa con el afán de captar donaciones que “el cerco construido en Yuma, Arizona, logró frustrar el 93 por ciento del cruce ilegal de personas en esa área. ¡Esto prueba que los cercos sirven! Ha habido alrededor de 35.000 muertes y asesinatos a lo largo del límite con México desde el año 2006. De acuerdo con una investigación del Comité de Seguridad Local, oficiales de inteligencia han descubierto que miembros del grupo terrorista Hezbolá se introdujeron en el país a través del límite sur. Los agentes de la patrulla limítrofe han recolectado trozos de tela militar en la zona, uno de ellos, con la palabra “mártir” escrita en árabe y otro con la figura de un avión militar”.

El senador también se queja de la máxima autoridad de Estados Unidos. “A pesar del discurso que dio el presidente Barack Obama el 10 de mayo de 2011 sobre que ‘el cerco está básicamente construido en su totalidad’, eso no es cierto”. Y cierra con un pedido: “Su donación es enteramente necesitada y apreciada. Gracias y que Dios continúe bendiciendo a los Estados Unidos de América”.

Juntos, Brewer y Smith ya habían promovido la ley SB-1070 que autoriza a la policía de Arizona a detener a cualquier persona sospechada de no tener los papeles en regla y a exigirles a los residentes legales la documentación que los avale. La norma fue suspendida por una jueza federal, pero eso no le impidió al temido y mediático sheriff Joe Arpaio, del condado de Maricopa, mantener en una improvisada prisión, montada con carpas en pleno desierto, a unos 1400 detenidos.

La mayoría son inmigrantes que cayeron en sus manos por cruzar la frontera sin papeles o que, teniéndolos, cometen contravenciones como conducir alcoholizados. En los primeros días de este mes, un informe periodístico de Univisión –el conglomerado de medios de habla hispana más grande de EE.UU.– señaló que en la cárcel de Tent City “el termómetro indicó lo que los presos ya podían sentir: un calor extremo de 62 grados...” Una fotografía que completaba la cobertura muestra a Arpaio utilizando un aparato para medir la temperatura en ese infierno.

Insensible a las condiciones de detención, el sheriff se preguntó: “¿Qué voy a hacer? ¿Sacarlos de la prisión porque hace demasiado calor? Hay personas trabajando en este calor, pero nadie siente pena por ellos”. El policía que no hubiera desentonado en las SS hitlerianas es la cara más conocida del sistema represivo de Arizona. Acusado en abril pasado por malversación de fondos, Arpaio tuvo en su prisión del desierto a un recluso muy famoso: Mike Tyson. Los detenidos de su feudo carcelario en Tent City, además de otras humillaciones, son obligados a vestir ropa interior rosa. El sheriff lanzó un nuevo modelo de prendas de ese color con la inscripción en español ¡Vamos José! Son calzoncillos que creó hace 17 años, se venden por 15 dólares y que también se comercializan con el texto en inglés: “Go Joe”.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Usar botox diminui empatia

Pessoas que recebem injeções de botox no rosto podem ter dificuldade de compreender pensamentos e emoções alheias, segundo cientistas americanos.

O estudo, divulgado na publicação científica Social Psychological and Personality Science, afirma que rugas de expressão, como pés de galinha, linhas na testa e vincos entre as sobrancelhas, são essenciais na interpretação das emoções humanas.

Ao paralisar a musculatura do rosto e reduzir estas marcas, o botox dificultaria o processo de empatia na comunicação entre indivíduos.

Segundo o psicólogo da Universidade do Sul da Califórnia David Neal, um dos responsáveis pela pesquisa, isso acontece porque normalmente os seres humanos decifram as emoções alheias imitando involuntariamente as expressões uns dos outros.

"A comunicação humana pode ser muito sutil. Eliminar uma parte da informação – seja quando se comunica por e-mail e pelo Twitter ou quando se paralisa os músculos da face – pode ser a diferença entre a comunicação bem sucedida e o fracasso", afirmou David Neal.

O botox, ou toxina botulínica, é um composto produzido por uma bactéria anaeróbia e utilizado em tratamentos estéticos, em pequenas doses, para suavizar as marcas causadas pelas contrações musculares na face ao longo do tempo.

Ao ser aplicada no rosto, a toxina bloqueia a liberação de acetilcolina, um neurotransmissor que leva mensagens elétricas do cérebro aos músculos faciais.

Comparação


A pesquisa, conduzida por Neal e pela psicóloga e neurocientista Tanya Chartrand, da Universidade de Duke, na Carolina do Norte, comparou um grupo de pessoas que fizeram tratamentos estéticos com botox com outro grupo, que utilizou a técnica do preenchimento cutâneo para diminuir as rugas.

O preenchimento cutâneo é feito injetando substâncias químicas sob a pele de rugas e sulcos, em partes selecionadas do rosto. O procedimento, no entanto, não paralisa a musculatura da face.

Os dois grupos de voluntários tiveram que olhar fotos de outras pessoas e relacionar cada imagem com as emoções humanas correspondentes.

Segundo Chartrand, o grupo com botox interpretou as expressões faciais com menor precisão. Já o grupo que fez preenchimento cutâneo teve resultados semelhantes a adultos que não fizeram nenhum tipo de tratamento estético facial.

"As pessoas imitam inconscientemente as expressões faciais das outras, em um processo que envia sinais do rosto para o cérebro. Elas usam esta informação para reproduzir e entender o significado emocional das expressões."

Para a pesquisadora, os pacientes que usam botox não conseguem entender as emoções de outras pessoas porque são incapazes de imitá-las. "Esta inabilidade elimina uma parte crucial da comunicação interpessoal", disse.

PIRATAS DA SOMÁLIA

quarta-feira, 13 de julho de 2011

45 dicas para viver mais e melhor


Especialistas de diversas áreas da medicina ensinam pequenos truques para quem busca a longevidade



"Faça isso, não faça aquilo", "Coma isso, não coma aquilo." Não há quem suporte uma rotina com tantas preocupações e proibições. Mas, diariamente, somos alarmados por esse tipo de afirmação, não somente por médicos, mas também de familiares e amigos. Será que vale mesmo a pena seguir a risca todas as recomendações que nos são dadas ou cada um de nós tem uma medida certa para cada tipo de ação? Quais atitudes são realmente importantes para uma pessoa viver mais e melhor? Nós consultamos 45 especialistas de diversas áreas para esclarecer alguns mitos e saber o que pode trazer longevidade.

MENTE E CORPO

1 - "Como qualquer máquina ou músculo, o cérebro precisa de cuidados para funcionar corretamente. E algumas mudanças na rotina podem ajudar a estimulá-lo: use o relógio de pulso no braço direito, ande pela casa de trás para frente, olhe fotos de cabeça para baixo, veja as horas num espelho, faça um novo caminho para ir ao trabalho, decore uma palavra nova por dia."
Carlos Maurício Prado, especialista em Ginástica Cerebral

2 - "Conheça o seu corpo; ele nos avisa com sinais as necessidades importantes, como comer (fome) e dormir (sono). No caso da dor, por exemplo, é um aviso para buscar a sua causa real, portanto nunca ignore a dor ou a suprima com drogas sem procurar a raiz."
Jason Gilbert, quiropraxista do Instituto Internacional de Quiropraxia

3 - "Dedicar alguns minutos da manhã à mente é uma fórmula eficaz para conseguir mais disposição. Ao acordar, tente relaxar, meditar e mentalizar com muita calma o que você vai fazer durante o dia, assim, evita o cansaço mental e físico."
Bokkulla Ramachandra Reddy, especialista em Ayurveda

4 - "Quando estiver doente, procure pensar em outras coisas e se envolva em atividades diferentes. Faça cursos, exercícios e esteja sempre estimulando o cérebro com algo novo. Dessa forma, nos preocupamos menos e sofremos menos."
Manoel Jacobsen, chefe do grupo de Dor do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC/FMUSP)

5 - "Pratique exercícios moderados diariamente. Com certeza você ficará mais animado e bem-disposto, além de condicionar o corpo e fortalecer as defesas do organismo."
Eduardo Gomes de Azevedo, geriatra e autor do livro Tudo novo em seu corpo: atividade física.

6 - "Dormir é essencial para restaurar a atividade cerebral. O recomendado para adultos é de seis a oito horas por dia, do sono que chamamos de reparador."
Sérgio Tufik, diretor do Instituto do Sono de São Paulo

PELE, CABELO, UNHAS

7 - "Se você já tentou de tudo para ter cabelos fortes e brilhantes e de nada adiantou, a solução pode estar no seu prato. Invista na couve, no tomate e na cenoura, que possuem vitaminas A e E. As suas unhas também ficarão lindas."
Adriana Vilarinho, membro da Academia Brasileira de Dermatologia (SBD)

8 - "Proteja a pele da exposição solar. Não podemos ficar sem proteção durante todo o dia, independente de ter sol ou não. Por isso, é essencial usar filtro solar adequado a seu tipo de pele, óculos de sol com proteção adequada, bonés e roupas que barrem os raios solares."
Luciana Conrado, dermatologista e conselheira da Sociedade Brasileira de Dermatologia - regional São Paulo (SBD-SP)

9 - "A melhor maneira de tratar o câncer de pele é ficar atento aos sinais para que o diagnóstico seja feito no início da doença. Para isso, examinar a pele e as pintas com frequência é fundamental para detectar alterações, assim como visitar o dermatologista de uma a duas vezes por ano."
Sumaya Neves, membro da SBD

10 - "Se você não gosta do cheiro do protetor solar, peça a sua dermatologista uma fórmula preparada especialmente para você, unindo o seu hidratante diário e a proteção contra os raios ultravioleta."
Denise Steiner, coordenadora do departamento de Cosmiatria da SBD

11 - "Dê preferência aos alimentos antioxidantes, como os oligoelementos (ferro, zinco, cobre, magnésio, selênio etc.), que combatem os radicais livres, o envelhecimento precoce e o desequilíbrio de nutrientes que acarretam diversas doenças em nosso organismo."
Ana Carolina Moron Gigliardi, nutricionista da Universidade de São Paulo (USP)
OSSOS E DENTES

12 - "A melhor posição para dormir é o chamado decúbito lateral, em que a pessoa fica deitada de lado, com os joelhos semiflexionados, mantendo a coxa plana, na mesma altura do quadril."
Eduardo Cadidé, fisioterapeuta pós-graduado em Tráumato-ortopedia

13 - "O travesseiro certo para descansar é aquele nem muito alto, nem muito baixo. Lembre-se de que o pescoço precisa ficar a 90º, sem estar inclinado para cima ou para baixo."
Luiz Pimenta, presidente da Sociedade Mundial da Coluna

14 - "A partir dos 40 anos, as mulheres devem fazer o exame de densitometria óssea, para verificar se não apresentam risco de osteoporose. Faça a primeira vez e repita no ano seguinte para comparar as perdas. Se estiver normal, só é necessário repetir após os 65 anos."
Charlles Heldan, professor doutor visitante da disciplina de Reumatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

15 - "Cuidar de seus dentes ajuda a prevenir tanto doenças bucais como gastrointestinais e respiratórias. Para isso, basta escová-los bem após as refeições, assim como a língua, e utilizar fio dental."
Oscar Razuk, professor de Estética e Tratamentos Rápidos da Fundação de Apoio à Pesquisa e Estudo na Área de Saúde (Fapes)

16 - "É muito importante realizar um autoexame bucal para verificar se existem feridas, aftas, herpes ou indicativos de doenças na boca, como o câncer. Visitar o dentista a cada seis meses também ajuda a manter a saúde bucal."
Maristela Maia Lobo, doutoranda em Clínica Odontológica da Faculdade de Odontologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

HOMENS E MULHERES

17 - "O momento ideal para fazer a detecção do câncer de próstata é quando o homem não apresenta sintomas. A partir dos 45 anos de idade, é muito importante que ele faça exames clínicos periodicamente, incluindo o de toque, combinado ao exame de PSA no sangue"
Bernardo Xavier, urologista do Instituto Biocor (MG)

18 - "As mulheres devem fazer uma mamografia anual a partir dos 35 anos. Esse é o único exame capaz de detectar o câncer de mama, o mais comum entre elas"
Nilka Fernandes Donadio, ginecologista da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP)

19 - "Sexo seguro. Isso significa utilizar a camisinha, a fim de evitar doenças sexualmente transmissíveis, como a aids. Para as mulheres, vale o uso do anticoncepcional, para impedir uma gravidez indesejada."
Cláudio Basbaum, ginecologista-obstetra

CRIANÇAS

20 - "Cuide dos seus filhos com muito amor e carinho. Crianças com vínculos afetivos fortes com os pais costumam ter a autoestima e autoconfiança maiores".
Moises Chencinski, pediatra

21 - "Acompanhamento médico durante a gestação é essencial. A primeira consulta deve ser feita assim que a mulher suspeitar que está grávida e repetida uma vez ao mês até o sétimo mês. No oitavo, as consultas devem ser quinzenais e, no nono, semanais."
Roberto Cardoso, obstetra da Unifesp

22 - "Amamente seu filho pelo menos até os seis meses de vida. Além de ser o único alimento que o bebê está realmente apto a digerir, o leite materno o ajuda a ter um desenvolvimento correto do ponto de vista nutricional e imunológico, contribuindo para que a criança tenha dentes saudáveis."
Adriana Mazzoni, odontopediatra

VIAS AÉREAS

23 - "A automedicação é um perigo: para prevenir gripes e resfriados, as pessoas tomam remédios por conta própria quando não há necessidade. Basta se alimentar corretamente, ter boas noites de sono e manter a saúde em dia para evitar resfriados fortes."
Rosana Richtmann, infectologista do Instituto Emilio Ribas

24 - "Não fume. O cigarro é o principal causador das doenças das vias áreas superiores, da bronquite crônica, do enfisema pulmonar e do câncer de pulmão. Se a pessoa não consegue parar sozinha, precisa de ajuda e pode frequentar programas em que psicólogos, médicos e assistentes sociais a auxiliam a largar o vício."
Gustavo F. Prado, pneumologista do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp)

25 - "O ar que respiramos, principalmente em grandes cidades, pode ser, sim, prejudicial à saúde. Por isso, boas medidas seriam incentivar o plantio de árvores nas ruas, manter os veículos regulados e a álcool ou biodiesel e usar transporte coletivo, por exemplo."
Jaqueline Scholz Issa, diretora do Núcleo Antitabagismo do Instituto do Coração (Incor-HC/FMUSP)

26 - "Para evitar alergias, limpe bem a casa e mantenha-a arejada. Evite carpetes, cortinas, bichos de pelúcia e tudo que possa acumular poeira e ácaros, e, acima de tudo, não durma com animais de estimação."
João Ferreira de Mello Júnior, chefe do Grupo de A lergia e Otorrinolaringologia do HC/FMUSP

27 - "É preciso ficar atento à apneia noturna, uma parada respiratória que pode chegar a 10 segundos e interrompe o sono. Geralmente, a pessoa passa o dia inteiro sonolenta e não sabe o motivo. Deve-se investigar"
Geraldo Nunes Vieira Rizzo, neurologista

SISTEMA EXCRETOR

28 - "Consuma pouco sal e evite problemas renais e pressão alta. A maioria dos alimentos contém sódio em sua composição, então, não tempere a comida com excesso desse mineral e prefira as ervas aromáticas e especiarias. Entidades internacionais recomendam apenas de 6 a 8 g de sal por dia."
Paulo Olzon Monteiro da Silva, especialista em Infectologia e Nefrologia, chefe da disciplina de Clínica Médica da Unifesp

29 - "Muitas pessoas têm o hábito de tomar vitamina C por conta própria para evitar gripes e resfriados, porém, para quem tem predisposição a pedras nos rins, esse hábito pode ser um verdadeiro veneno. Isso porque a alta concentração dessa vitamina pode fazer com que um sal chamado oxalato de cálcio forme um cálculo renal." 
Antônio Carlos do Nascimento, endocrinologista membro da Sociedade de Endocrinologia e Metabologia (SBEM)

30 - "Os rins filtram mais sangue quando se bebe bastante água, eliminando mais resíduos tóxicos do organismo, como ureia e ácido úrico. Um adulto saudável deveria ingerir cerca de um litro e meio de água por dia, principalmente no verão. Crianças e idosos devem dar atenção especial a essa recomendação."
Carmen Tzanno, nefrologista e coordenadora do Comitê de Nutrição da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN)

ORELHAS

31 - "Muitas pessoas têm problemas de audição e nem desconfiam. Acabam falando mais alto para compensar a própria perda auditiva. Então, sempre que sentir coceira na orelha, dor, secreção ou diminuição da audição procure fazer o exame auditivo"
Isabela Gomes, fonoaudióloga do Centro Auditivo Telex, no Rio de Janeiro

32 - "Nunca use cotonete, ou outro objeto pontiagudo, para limpar a orelha. Uma das causas mais comuns de otite externa é o traumatismo provocado pela limpeza excessiva. Prefira apenas secá-la com uma toalha limpa"
Renato Roithmann, professor de Otorrinolaringologia da Universidade Luterana do Brasil, e Sady Selaimen, da UFRS

CORAÇÃO

33 - "Evite o estresse e mantenha sua saúde cardiovascular em dia. Para isso, faça exercícios físicos, não guarde rancor ou ódio, alimente sua autoestima, tenha experiências diferentes ao que está acostumado na sua rotina e durma um sono reparador, ou seja, suficiente para descansar e recuperar as energias."
Marcelo Regazzini, cardiologista da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp)

34 - "Fazer exames para medir a quantidade de colesterol (HDL e LDL) no sangue, além de triglicérides, é recomendável a todos os pacientes, independente da faixa etária ou sexo. Nunca é muito cedo para começar a controlar a alimentação."
Antônio Carlos do Nascimento, endocrinologista membro da Sociedade de Endocrinologia e Metabologia (SBEM)

35 - "Peça a seu médico que solicite um hemograma completo para medir a quantidade de glicose no sangue e avaliar se não há alterações que possam levar ao diabetes ou até hipoglicemia, duas doenças que comprometem a qualidade de vida."
Eliano Pellini, endocrinologista do HC/FMUSP

ALIMENTAÇÃO

36 - "Uma alimentação correta pode evitar o aparecimento de diversas doenças. Para isso faça várias refeições ao dia, coma em intervalos regulares, mastigue devagar, consuma doces com moderação, evite gorduras em excesso, principalmente as de origem animal, e ingira uma quantidade adequada de líquidos e fibras."
André Siqueira Matheus, gastroenterologista e pesquisador da USP

37 - "Coma o que tiver vontade. Se quiser brigadeiro, pode ser que precise aumentar a captação de serotonina, o neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. Se o desejo é comer batatas fritas, pode ser baixa concentração de zinco e triptofano no organismo, que desencadeia um desequilíbrio de insulina e desperta o apetite por carboidratos."
Fernanda Machado Soares, nutricionista membro da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN)

38 - "Procure fazer do momento da refeição exclusivo, ou seja, evite se alimentar enquanto exerce outra atividade, por exemplo, na frente da televisão ou do computador. Esta atitude é essencial para quem quer ter saúde e não sofrer problemas gástricos."
José Carlos Pareja, professor doutor da Unicamp

39 - "As pessoas costumam tomar antiácidos, como sal de fruta, toda vez que sentem azia ou má digestão. Tudo bem fazer isso de vez em quando, mas o problema é que essa automedicação pode mascarar doenças graves. Se o mal-estar estomacal for frequente, é melhor procurar um médico."
Karine Leão, coordenadora do grupo de Dor do HC/FMUSP

40 - "As mulheres devem evitar ao máximo o álcool, extremamente nocivo a elas que têm menor resistência às doenças do fígado. Por exemplo, aquelas na faixa entre 40 e 50 anos são as que apresentam maior risco de cálculo biliar, as pedras na vesícula."
Eduardo Saad, cardiologista do Instituto Nacional de Cardiologia (INC)

41 - "Consuma entre 20 e 25 g de fibras por dia, encontradas em verduras, frutas, legumes e cereais integrais. Tal hábito ajuda a manter o sistema digestório em bom funcionamento e ainda evitar o câncer de intestino."
Antonio Herbert Lancha Junior, nutricionista do Laboratório de Nutrição e Metabolismo da USP

HORMÔNIOS

42 - "Todas as mulheres com mais de 50 anos deveriam fazer exame para detecção de hipo ou hipertiroidismo, por meio da determinação do hormônio produzido por essa glândula, o T4 livre, e do estimulador da tireoide, o TSH ."
Yolanda Schrank, endocrinologista da DASA, Lâmina Medicina Diagnóstica

43 - "Muitas mulheres ainda reclamam que a pílula anticoncepcional faz engordar, porém hoje existem fórmulas com uma dose muito baixa de hormônio, que não causam o inchaço e o ganho de peso. Converse com seu ginecologista."
Alfonso Massaguer, ginecologista do Hospital São Rafael

44 - "É preciso ficar atento ao diabetes insipidus, doença que pode passar anos sem ser descoberta em adultos. Os sintomas são similares ao do diabetes mellitus, como sede e urinas frequentes e intensas, mas os níveis de glicose no sangue não são alterados."
Hugo Abensur, coordenador do Programa de Diálise Peritoneal do HC/FMUSP

45 - "Pacientes diabéticos não podem abusar de doces, mas também não precisam se privar se tiverem vontade. Se a pessoa mantiver um peso saudável, pode consumir, por exemplo, chocolates com moderação, desde que respeite a quantidade de carboidratos que devem ser ingeridos por refeição."


Reginaldo Albuquerque, endocrinologista membro da Sociedade Brasileira de Diabetes*

Autor: Carol Nogueira
Fonte: Viva Saúde

terça-feira, 12 de julho de 2011

Cientistas acham tipo de gonorreia resistente a todos os antibióticos



Doença é altamente contagiosa. Melhor forma de prevenção é a camisinha.


Um grupo de cientistas anunciou nesta semana a descoberta de uma variação da gonorreia resistente a todos os antibióticos conhecidos, em uma conferência sobre doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) realizada no Canadá.

Segundo o líder da pesquisa, Magnus Unemo, a descoberta é “alarmante e previsível”.
 
De acordo com ele, a bactéria causadora da doença sempre demonstrou uma forte capacidade de se adaptar e se tornar resistente a todas as medicações utilizadas contra ela.

A gonorreia é uma das DSTs mais transmitidas no mundo. Sem tratamento, pode levar a complicações irreversíveis nos sistemas urinário e reprodutivo. Para evitá-la, como em todas as DSTs, a melhor opção é usar camisinha em todas as relações sexuais.

Para Unemo, ainda é cedo para saber se a nova variação vai se espalhar, mas é preciso ficar atento porque a doença é altamente contagiosa.

Autor: Redação
Fonte: G1 Ciência e Saúde 

Nota do Blog: Com a palavra a Igreja Católica. 

Andate a la puta que te re mil pario



River vs Belgrano (26/06/2011)

ACLARACIONES:
NO HAY UN VIDEO DEL SEGUNDO PARTIDO.

Reações de um homem pacífico, pai de família, frente à iminente queda do seu time, River Plate, para a segunda divisão do futebol Argentino.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

OPORTUNIDADE DE TRABALHO

Detetives para vigiar filhos

Pais de São Paulo e Brasília procuram detetives nas férias de meio do ano para saber se há entre os filhos e filhas consumo de drogas, namorado novo e tipos de amigos e até saber se o jovem é homossexual.

A idade visada é dos 15 aos 17 anos.

Com microfilmadoras na lapela, dois detetives particulares ficaram por um mês na cola do adolescente G., de 16 anos, para descobrir que ele usava maconha e ecstasy.

Eles foram contratados por R$ 3,5 mil pelo pai do garoto.

"Chamei meu filho, reuni a família e mostrei as filmagens. Ele ficou envergonhado e parou com as drogas", diz S.T., 57, analista de cobrança.

Casos como o de G. acontecem o ano inteiro, mas agora, nas férias de julho. longe do controle da escola, abre-se uma temporada favorável aos detetives particulares.

Segundo a Central Única Federal dos Detetives do Brasil, 10 famílias procuraram o serviço este mês em Brasília e na capital paulista.

Apesar do órgão não tabular os casos nos outros meses do ano, a percepção dos detetives é que, em julho, esse tipo de trabalho aumenta.

Do detetive, os pais esperam uma explicação para o fato de os filhos com idades entre 15 e 17 anos terem optado por ficar sozinhos em casa em vez de viajar com os pais.

São várias as preocupações com os adolescentes, a maioria de classe média: consumo de drogas, namorado novo, rotina, amigos e até saber se o filho é homossexual.

É o cúmulo da falta de confiança entre pais e filhos.

FRASES

Caras(os) leitoras(es) deste humilde blog,

Para iniciar bem a semana, brindo-os com algumas frases edificantes proferidas por Ricardo Teixeira, comandante supremo do futebol no nosso país:

"Que p... as pessoas têm a ver com as contas da CBF? É entidade privada, Não tem dinheiro público. Por que m... todo mundo enche o saco?"

"Caguei. Caguei de montão" (sobre as acusações que recebe)

"Você acredita em tudo o que sai na imprensa? Esquece. Isso é tudo armação."


"Garotinho? Ele está trabalhando para a Record"

"Quanto mais tomo pau da Record, fico com mais crédito na Globo"

"Só vou ficar preocupado quando as acusações saírem no Jornal Nacional"

"Parei de ver televisão e internet. Não leio mais p... nenhuma. A vida ficou leve pra cacete"

"Voo da muamba? Foi tudo armado. O secretário da receita armou para mostrar serviço, comprou a história e nós nos f..."

Lancenet

quarta-feira, 6 de julho de 2011

PREOCUPAÇÕES EUROPEIAS COM TRANSGÊNICOS


A decisão de cultivar organismos geneticamente modificados deve ser feita por cada estado-membro. A proposta teve, esta terça-feira, o apoio de uma larga maioria dos eurodeputados. Para proibir ou limitar o cultivo de OGM, devem ser apresentados motivos ambientais locais e impactos socioeconómicos. 

É o que explica a eurodeputada francesa, Corinne Lepage. “Na diretiva inicial, estava previsto estudar o que chamamos de meios recetores, onde se vai plantar. Estes estudos nunca foram feitos. Os meios recetores na Europa são muito diferentes. Quando se vai a Itália ou à Suécia, não se encontram os mesmos meios, nem as mesmas plantas, nem as mesmas condições locais. Por isso, a minha proposta tem em conta este tipo de considerações que não podem ser avaliadas em toda a Europa”.

Será que a proibição a nível nacional é a solução?

Este tema também divide a Bélgica, onde a Valónia é contra os OGM e a Flandres é mais favorável.

Seguimos os passos de um investigador junto do único campo de batatas transgénicas do país, situado em Wetteren, na Flandres. Há cerca de um mês, os ambientalistas invadiram o local. Para Marc De Loose, o risco de contaminação à agricultura tradicional ou biológica não faz sentido.

“Para este campo experimental, tomámos todas as precauções necessárias para prevenir a contaminação. Sei que os ativistas dizem que há contaminação. Perguntaram-nos sobre as abelhas. Mas as abelhas não voam em cima das batatas”, conclui o investigador.

O cultivo de milho transgénico também não apresenta risco, acrescenta. “No ano passado fizemos uma experiência e demonstrámos que uma distância de 50 metros entre um campo de milho transgénico e outro sem OGM é suficiente.”

Mas na Valónia, a zona de segurança é de 600 metros, ou seja, 12 vezes maior.

Num país onde a batata frita é o prato do dia, na hora de questionar os turistas sobre se preferem batatas com ou sem OGM, a resposta é imediata: “Com certeza sem!”

Copyright © 2011 euronews

Nota do Blog: Aqui no Brasil não se tem tempo para essas preocupações sutis. Por aqui pode tudo. Os transgênicos estão misturados com as culturas não modificadas geneticamente sem que os produtores e governos, alguns também geneticamente modificados, percam uma boa noite de sono.

terça-feira, 5 de julho de 2011

TSUNAMI SOBRE ISRAEL


Em setembro, ONU reconhecerá Estado palestino, talvez por maioria esmagadora. É o que Telavive mais teme. Como reagirá Washington?

Por Immanuel Wallerstein em seu site | Tradução: Cauê Seignemartin Ameni

Os palestinos estão perseguindo seu projeto: obter reconhecimento formal de sua soberania pela ONU, cuja Assembleia Geral vai se reunir em setembro. Querem uma declaração de que seu Estado ocupa as fronteiras de 1967 – as de antes da guerra israelense-palestina. É quase certo que o voto será favorável.

A única questão, no momento, é saber quão favoravel. A liderança política israelense está bem ciente disso. Discute três diferentes respostas. A posição dominante aparenta ser a do primeiro-ministro Netanyahu. Ele propõe ignorar totalmente tal resolução e simplesmente manter as políticas atuais. Netanyahu acredita que Israel ignorou com sucesso, por muito tempo, resoluções desfavoráveis adotadas pela Assembléia Geral. Por que agora seria diferente?

Há alguns políticos de extrema direita (sim, existe uma posição ainda mais à direita que Netanyahu) que propõem, em represália, a anexação formal, por Israel, de todos os territórios ocupados, encerrando qualquer negociação com os palestinos. Parte da extrema direita também quer forçar um êxodo de população não-judaica, a partir deste estado israelense expandido.

O ex-primeiro-ministro (e atual ministro da Defesa) Ehud Barak, cuja base política está agora quase extinta, adverte Netanyahu por estar sendo irrealista. Barak diz que a resolução da ONU será um tsunami para Israel; e que, portanto, Netanyahu deveria ter a sabedoria de fazer algum tipo de acordo com os palestinos, antes que a resolução passe.

Ehud Barak está certo? Será um tsunami para Israel? Há uma boa chance de que sim. Porém, há pouca chance real de que Netanyahu siga os conselhos de Barak e tente fazer com seriedade um acordo prévio com os palestinos.

Considere o que é provável na Assembléia Geral. Sabemos que a maioria (talvez todos) dos países da América Latina e uma parte dos países africanos e asiáticos votarão em favor da resolução. Sabemos que os Estados Unidos votarão contra e tentarão persuadir outros a votar também. Os votos incertos são os da Europa. Se os palestinos obtiverem um número significativo dos votos europeus, sua posição política será muito reforçada.

Os europeus votarão em favor da resolução? Isso dependerá em parte do que acontecer no mundo árabe nos próximos dois meses. Os franceses já sugeriram abertamente que apoiarão a resolução, exceto se virem negociações significativas entre Israel e Palestina (que não ocorrem no momento). É quase certo que os países nórdicos se juntem a eles. A posição da Grã-Bretanha, Alemanha e Holanda está mais indefinida. Se estes países decidirem apoiar a resolução, provavelmente puxarão vários países do leste europeu. Nesse caso, a resolução obterá uma vasta maioria dos votos na Europa.

Precisamos, portanto, olhar o que está acontecendo no Oriente Médio. A segunda revolta árabe ainda está em pleno andamento. Seria temerário prever exatamente quais regimes cairão e quais se aguentarão, nos próximos dois meses. O que parece estar claro é que os palestinos estão à beira de lançar uma terceira intifada. Até os mais conservadores entre eles parecem ter perdido a esperança de qualquer acordo com Israel. Esta é a mensagem clara do acordo entre o Fatah e o Hamas. Levando em conta que as populações de praticamente todos os estados árabes estão em plena revolta política contra seus regimes, como poderiam os palestinos permanecer relativamente tranquilos? Não ficarão em silêncio.

E se não permanecerem em silencio, o que os outros regimes árabes farão? Todos vivem tempos difíceis — para dizer o mínimo –, enfrentando as revoltas em seus próprios países. Apoiar taticamente a terceira intifada seria a posição mais fácil para eles, no esforço para recuperar o controle de seu próprio país. Que regime ousaria não apoiar uma terceira intifada? O Egito já se movimentou claramente rumo a esta postura. E o rei Abdullah da Jordânia deu a entender que também o fará.

Então, imagine a seqüência: uma terceira intifada, seguida pelo apoio árabe ativo, seguido por intransigência israelense. O que farão os europeus em seguida? É difícil vê-los recusar o voto a favor da resolução. Poderíamos facilmente chegar a uma votação em que apenas Israel, Estados Unidos e alguns poucos países minúsculos votariam contra a posição pró-Palestina, talvez com poucas abstenções.

Isso me parece um possível tsunami. Israel teme acima de tudo, nos últimos anos, a “deslegitimação”. Não seria essa votação precisamente o grau mais alto de deslegitimação? E o isolamento norte-americano não enfraqueceria ainda mais a posição de Washington no mundo árabe? O que farão, nesse caso, os Estado Unidos?

Outras Palavras

Cientistas preveem a cura do envelhecimento para os próximos 150 anos

A "Persistência da Memória" de Dali

LONDRES (Reuters) - Se as previsões de Aubrey de Grey estiverem certas, a primeira pessoa a comemorar seu aniversário de 150 anos já nasceu. E a primeira pessoa a viver até os mil anos pode demorar menos de 20 anos para nascer.

Biomédico gerontologista e cientista-chefe de uma fundação dedicada a pesquisas da longevidade, De Grey calcula que, ainda durante a sua vida, os médicos poderão ter à mão todas as ferramentas necessárias para "curar" o envelhecimento -- extirpando as doenças decorrentes da idade e prolongando a vida indefinidamente.

"Eu diria que temos uma chance de 50 por cento de colocar o envelhecimento sob aquilo que eu chamaria de nível decisivo de controle médico dentro de mais ou menos 25 anos", disse De Grey numa entrevista antes de proferir uma palestra no Britain's Royal Institution, uma academia britânica de ciências.

"E por 'decisivo' quero dizer o mesmo tipo de controle médico que temos sobre a maioria das doenças infecciosas hoje", acrescentou.

De Grey antevê uma época em que as pessoas irão ao médico para uma "manutenção" regular, o que incluiria terapias genéticas, terapias com células-tronco, estimulação imunológica e várias outras técnicas avançadas.

Ele descreve o envelhecimento como o acúmulo de vários danos moleculares e celulares no organismo. "A ideia é adotar o que se poderia chamar de geriatria preventiva, em que você vai regularmente reparar o danos molecular e celular antes que ele chegue ao nível de abundância que é patogênico", explicou o cientista, cofundador da Fundação Sens (sigla de "Estratégias para a Senilitude Programada Desprezível"), com sede na Califórnia.

Não se sabe exatamente como a expectativa de vida vai se comportar no futuro, mas a tendência é clara. Atualmente, ela cresce aproximadamente três meses por ano, e especialistas preveem que haverá um milhão de pessoas centenárias no mundo até 2030.

Só no Japão já há mais de 44 mil centenários, e a pessoa mais longeva já registrada no mundo foi até os 122 anos.

Mas alguns pesquisadores argumentam que a epidemia de obesidade, espalhando-se agora dos países desenvolvidos para o mundo em desenvolvimento, poderá afetar a tendência de longevidade.

As ideias de De Grey podem parecer ambiciosas demais, mas em 2005 o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) ofereceu um prêmio de 20 mil dólares para qualquer biólogo molecular que provasse que as teorias da Fundação Sens são "tão erradas que nem são dignas de um debate bem informado". Ninguém levou a bolada.

O prêmio foi instituído depois que um grupo de nove cientistas influentes atacou as teorias de Grey, qualificando-as de "pseudociência". Os jurados concluíram que o rótulo não era justo, e argumentaram que o Sens "existe em um meio termo de ideias ainda não testadas que algumas pessoas podem considerar intrigantes, mas das quais outras estão livres para duvidar."

Via UOL.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

FUTEBOL?


Eu, que não assisto jogos de futebol "amistosos", me parei na frente da TV ontem para observar o mais novo fenômeno criado pela mídia do centro do Brasil.

Não vi nada.

Alguém viu alguma coisa?

sábado, 2 de julho de 2011

OS MAIORES PRODUTORES DE SOJA DO BRASIL SÃO ARGENTINOS

Grupo argentino El Tejar lidera em produção de soja no Brasil

 

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - Com somente oito anos no Brasil, o grupo argentino El Tejar superou na safra 2010/11 tradicionais produtores de soja do país, utilizando uma agressiva estratégia de arrendamentos que tem seduzido os donos de terras e oferecido forte concorrência a brasileiros.

O El Tejar, com empresa constituída no Brasil denominada O Telhar, concentra suas operações no país em Mato Grosso, onde avalia-se que o grupo argentino tenha plantado até 300 mil hectares de soja, segundo levantamento junto ao setor produtivo e a consultores.

O grupo argentino, com atuação agrícola também na Argentina, Uruguai, Bolívia e Paraguai, não divulga a área plantada no Brasil, mas uma porta-voz da empresa no país afirmou que O Telhar conta com 21 unidades produtoras em Mato Grosso, que integram os mais de 700 mil hectares de cultivos da companhia em toda a América do Sul.

A empresa com sede na Argentina, que nasceu da associação de um grupo de produtores em 1987, inicialmente com foco na pecuária, hoje também conta com investidores de fora do país.

Isso permite ao El Tejar atuar com uma estratégia de arrendamentos arrojada para ganhar área plantada, considerada até hostil por alguns agricultores em Mato Grosso, que antes arrendavam terras e as perderam para o grupo argentino, não vendo chances de concorrência.

"Os maiores produtores de soja do Brasil já não são mais brasileiros, parece até piada", comentou Carlos Fávaro, vice-presidente da Aprosoja, entidade dos produtores do Estado de Mato Grosso, em entrevista à Reuters.

Ele estima que o El Tejar plantou entre 250 mil e 300 mil hectares na última safra em Mato Grosso, superando grupos como os mato-grossenses Bom Futuro, com 180 mil hectares de soja, dos irmãos Maggi Scheffer, e mesmo empresas como a do ex-governador e atual senador Blairo Maggi, com plantio na safra 2009/10 de 135 mil hectares --Blairo é primo dos Scheffer.

"Agora eles são os maiores do mundo", disse Fávaro, referindo-se ao El Tejar, que em área contínua na América do Sul planta o equivalente a mais de quatro vezes o território do município de São Paulo.

Os grupos agrícolas com atuação em Mato Grosso, o maior produtor brasileiro de soja, ainda costumam plantar milho na segunda safra, além de algodão. Questionado sobre o tamanho da produção de grãos no Brasil, o El Tejar afirmou produzir mais de 600 mil toneladas no Estado, mas não detalhou volumes por produto.

"PEÃO" DE ARGENTINO

Além de pagar pelo arrendamento um volume xis de sacas por hectare, O Telhar ainda contrata todos os serviços do próprio dono da terra, como se ele fosse um funcionário, segundo um consultor que preferiu não ser identificado.

"Não é um arrendamento convencional, é de porteira fechada... Acaba sendo melhor (para o dono da terra), já que o cara não tem risco nenhum e ainda pode otimizar toda a estrutura dele", disse o analista.

No arrendamento tradicional no Estado, no qual o arrendatário cuida de todos os aspectos da produção, o dono da terra recebe somente pelo arrendamento.

Seduzidos pelos valores dos argentinos, muitos proprietários de terra trocaram de arrendatário para O Telhar, o que também gerou uma inflação de preços de arrendamento.

"Eu mesmo perdi área plantada, eles pagam bem acima da média, o preço do arrendamento quase dobrou, e pra quem vive em um mundo normal é impossível concorrer", afirmou um produtor do sul de Mato Grosso que prefere não se identificar.

Segundo o diretor da Aprosoja, o El Tejar consegue oferecer mais vantagens aos donos das terras porque conta com financiamentos a custos mais baixos no exterior, em torno de 3 por cento ao ano, e também porque trabalha com custos mais reduzidos, ao comprar insumos em grande escala.

"O produtor de Mato Grosso, com limites para se financiar com o crédito oficial, tem que recorrer a tradings e paga um juro de 15 por cento ao ano", declarou Fávaro. "Aí ele (O Telhar) chega e coloca o produtor brasileiro de peão, pra trabalhar pra ele", completou, defendendo políticas públicas para haver um "equilíbrio de oportunidades".

OUTRO ARGENTINO

O crescimento da presença de grupos argentinos no Brasil, como o El Tejar e também o Los Grobo, que também trabalha com arrendamentos, coincide com um período em que a Argentina impôs taxas sobre as exportações de grãos, o que tornou a atividade menos rentável num dos maiores produtores globais.

Por outro lado, a maior presença de estrangeiros no Brasil, por meio de arrendamentos, foi considerada positiva em recente entrevista do ministro da Agricultura, Wagner Rossi , num momento em que o governo tenta limitar a compra de terras por empresas do exterior, visando entre outras coisas restringir especulação no campo.

Se o arrendamento pode ser uma alternativa, há quem pense diferente em Mato Grosso. O setor produtivo teme que, numa eventual derrocada nos preços internacionais das commodities, grupos como El Tejar não renovem seu arrendamentos, afetando a produção nacional.

Mas a porta-voz de O Telhar rebateu essa preocupação, afirmando que "ao ingressar em um país e realizar investimentos" a ideia do grupo é ficar por muitos anos, "garantindo a estabilidade de todos os envolvidos".

O total semeado por El Tejar, a propósito, também supera de longe o plantio do Los Grobo, que recentemente anunciou intenção de abrir o capital na Bovespa e que plantou na última safra, no Mercosul, 247 mil hectares de grãos e oleaginosas, sendo um terço do total no Brasil.

Uma vez com ações na Bovespa, a unidade do Los Grobo no Brasil --que além de trabalhar com plantio também negocia grãos, como o El Tejar-- fará frente a outra companhia listada do país, a SLC Agrícola, com cerca de 230 mil hectares plantados de soja, milho e algodão na última safra.

Questionada sobre intenção de eventual IPO no Brasil, a porta-voz de O Telhar não respondeu.

Sem FHC no Planalto, Nelson Jobim se vê cercado de “idiotas”

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal e também das eras FHC e Lula, parece cada vez mais disposto a sabotar o governo da presidente Dilma Rousseff. Ao menos foi o que demonstrou em duas lamentáveis declarações públicas feitas nesta semana. Por André Cintra

Na segunda-feira (27), em breve entrevista a jornalistas, Jobim se posicionou como fiador das Forças Armadas, ao declarar que documentos oficiais do regime militar brasileiro (1964-1985) "desapareceram, já foram consumidos à época". Sem provas comprometedoras, o ministro concluiu que era chegada a hora de viabilizar uma Comissão da Verdade -como se o principal objetivo da comissão não fosse justamente apurar as violações de direitos humanos cometidos pelos militares no poder.


Três dias depois, ao participar nesta quinta-feira (30), em Brasília, da festa em homenagem aos 80 anos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Jobim voltou a se apresentar como um contraponto ao viés mais democrático e progressista do governo Dilma. Ele aproveitou seu discurso para mandar uma série de recados -ora devidamente cifrados, ora nem tanto.

Dirigindo-se a uma plateia majoritariamente tucana, o ministro reconheceu sentir-se mais à vontade ali, entre a cúpula do PSDB, do que no ministério de Dilma. Foram várias declarações nesse sentido, a começar pela confissão de que seu discurso -ou "monólogo" pró- FHC -teria "vazios" que o ex-presidente "compreenderia perfeitamente".

Ao fim e ao cabo, os "vazios" não foram necessários. Explícito em vários momentos, Jobim só faltou evocar a música de Chico Buarque para dizer que, no momento, seu coração "é um pote até aqui de mágoa". A tal ponto que, de forma absurda, atribuiu ao próprio FHC sua indicação e manutenção no Ministério da Defesa. "Se estou aqui, foi por tua causa", afirmou aberta e deselegantemente.

Para fazer coro às críticas da oposição e da grande mídia à rigidez de Dilma, Jobim a contrapôs, indiretamente, a Fernando Henrique. "Nunca o presidente levantou a voz para ninguém. Nunca criou tensionamento entre aqueles que te assessoravam".

Insatisfação

O ministro ultrapassou de vez todos os limites da arrogância ao insinuar que os governos Lula e Dilma demoliram um "processo político de tolerância, compreensão e criação" supostamente construído por FHC. "Precisamos ter presente, Fernando, que os tempos mudaram."

Com cada vez menos poderes e holofotes na vida pública, Jobim deu a entender que se considera uma espécie de ilha de brilhantismo cercada de "idiotas" por todos os lados no governo Dilma. Para chegar a tal ridículo, evocou o escritor Nelson Rodrigues.

"Ele dizia que, no seu tempo, os idiotas chegavam devagar e ficavam quietos. O que se percebe hoje, Fernando, é que os idiotas perderam a modéstia. E nós temos de ter tolerância e compreensão também com os idiotas, que são exatamente aqueles que escrevem para o esquecimento", soltou o ministro imodesto no momento mais idiota de sua fala. Até FHC -que classificou o evento como uma "festa de amizade e de confraternização" -estranhou Jobim: "É, aquilo foi forte".

Segundo a Folha de S.Paulo, "aliados do ministro dizem que ele está, de fato, insatisfeito com Dilma. Recentemente se queixou a correligionários de que a presidente não o convoca para opinar sobre assuntos de política e direito, como Lula fazia. Ele também ficou incomodado com o corte do orçamento de sua pasta".

Nada disso, porém, confere a Nelson Jobim legitimidade para esculhambar o governo e a presidente que lhe confiaram um cargo tão estratégico. Às 11 horas desta sexta-feira (1º/7), o ministro tinha reunião marcada com Dilma. Será uma boa oportunidade para ele explicar, sem subterfúgios, quem são os "idiotas" que lhe exigem tamanhas "tolerância e compreensão".

Jus Brasil

Comentário do Blog: Está mais do que na hora da Presidenta fazer uma faxina no Governo Federal, começando por esse "ministro".