quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Gangue da Matriz


Para quem não sabe, a Gangue da Matriz era uma bando agressivo, oriundo de filhos de famílias de classe média alta, que ameaçava os vizinhos e visitantes do território que ia da Praça da Matriz, localizada em frente ao Palácio Piratini, até a Praça General Osório, também conhecida como Alto da Bronze, e imediações.
Essa gangue foi praticamente dissolvida devido ao assassinato do jovem Alex, conforme está relatado na Wikipedia:

Caso Alex Thomas

O Caso Alex Thomas refere-se ao assassinato do jovem Alex Thomas na praia de Capão da Canoa, no estado do Rio Grande do Sul em 1986, um fato que causou grande repercussão na imprensa e opinião pública gaúcha.
Na madrugada de 26 de fevereiro de 1986, o jovem Alex Thomas, então com 16 anos, caminhava pelas ruas de Capão da Canoa quando foi atacado por jovens integrantes de uma gang porto-alegrense conhecida como "matrizeiros" ou "gang da Praça da Matriz", composta por membros de famílias influentes da alta sociedade gaúcha.[1] [2]

Fato

Uma menina de 13 anos e um rapaz de 17 - caminhavam pela Avenida Paraguassu, em Atlântida, quando um grupo de sete rapazes passaram em dois veículos, gritando palavras obscenas para a menina. De acordo com os relatos do processo, os gritos foram respondidos com um gesto pelos acompanhantes de Clarice. Irritados, os ocupantes dos dois automóveis desceram e cercaram o garoto.
Alex sofreu traumatismo craniano e colapso pulmonar ao ser violentamente espancado e faleceu logo em seguida. Interrogados após o assassinato, os membros da gang confessaram ser adeptos das artes marciais e de terem usado táticas e golpes de karatê para matar Alex.
A morte de Alex Thomas causou revolta em todas as camadas sociais do Rio Grande do Sul, primeiro pela violência pela qual o jovem foi morto, mas também pela covardia e perfil dos criminosos envolvidos. O próprio juiz responsável pelo caso, José Antônio Paganella Boschi, sentiu-se em delicada posição devido à expectativa popular[3]. Todos foram condenados, exceto os rapazes, que apresentavam problemas mentais, e o futuro ator Ricardo Macchi, conhecido na gangue como "Chinês", foi liberado por ser menor de idade.

Um comentário:

  1. Causa-me espécie que o Estatuto da Criança e do Adolescente tenha sido criado. Filhos do cão da laia dos que mataram Alex Thomas têm de ficar na cadeia, ou morrer.
    Eu me lembro do caso. Eu tinha acabado de fazer 12 anos, meu aniversário é no 11 de fevereiro, e no 11 de fevereiro de 1986 eu fiz doze anos. Nem vinte dias depois eu tomei conhecimento desse crime hediondo. Isso é uma barbárie, e, com 12 anos recém-completados, fiquei sabendo de uma coisa assim, que causou estupor no Brasil todo, e que me impressiona até hoje.
    Por que criaram o ECA? Só fazia quatro anos que Alex Thomas tinha morrido! Os legisladores que criaram esse estatuto têm titica na cabeça, ou são bêbados criminosos? Ninguém se lembrou da enorme injustiça que fizeram com o Alex? Se fosse a morte de um traficante figurão ou de um grande político corrupto lembrariam, né? Com doze anos de idade eu sabia que era erradíssimo matar alguém, e ainda mais com os requintes de crueldade com os quais mataram um bom rapaz, de 17 anos apenas, desarmado, sozinho, cujo único pecado foi não estar em sua cama, no começo da madrugada do 26 de fevereiro de 1986! Ninguém se lembra disso... estão mais ocupados em se lembrar dos direitos de Marcos Valério, Fernandinho Beira-Mar, Marcola, e de ficarem idolatrando gente ruim como Madame Satã!
    Parabéns Omar! Mas pode crer que seu blog terá poucos comentários, ninguém liga pra morte de gente boa, não famosa, ainda que a morte tenha causado um choque terrível no Brasil todo, e por um bom tempo! Além do mais, com 12 anos eu já tinha discernimento de que matar pessoas é um crime nefasto... e não consigo entender até hoje por que criaram o Estatuto da Criança e do Adolescente! Assim como também não consigo esquecer Alex Thomas e os inimigos do gênero humano que fizeram aquela covardia com ele!

    ResponderExcluir