DANCINHA

sábado, 28 de agosto de 2010

ALGUÉM SE HABILITA?


Restaurante procura doadores para especialidades canibais

Um restaurante brasileiro que vai abrir brevemente em Berlim despertou a curiosidade, mas também a indignação, ao anunciar na sua campanha publicitária que procura doadores para oferecer especialidades canibais aos seus clientes.

"Depois de um exame médico, pode decidir qual a parte do seu corpo que está disposto a doar", diz na sua página de Internet o restaurante Flimé, cuja localização se mantém ainda em segredo.

O estabelecimento tem ainda para download um formulário no qual se solicitam informações pessoais, como a identidade do doador, a idade, as possíveis doenças crónicas, o consumo de tabaco, drogas e álcool, peso e tipo sanguíneo e até se, no caso de uma mulher, está grávida.

O proprietário do Flimé, o brasileiro Eduardo Amado, anunciou que o restaurante irá oferecer cozinha da cultura Wari, um povo canibal da selva amazónica, em conjunto com receitas clássicas brasileiras.

"Seguindo o velho provérbio wari o importante para nós é que 'comer é mais do que saciar a fome'", afirma Amado no site, acrescentando: "Contemplamos a alimentação como um acto espiritual no qual se assume a alma e a força do ser que ingerimos".

O site do restaurante anuncia que o proprietário assume as despesas hospitalares dos doadores e revela que o Flimé será a sua primeira sucursal no estrangeiro, sendo que a sede se encontra na localidade de Guajara Mirim, na Amazónia ocidental.

O restaurante Flimé tem a abertura prevista para dia 8 de Setembro.

Correio da Manhã

2 comentários:

  1. Folha cai no boato do restaurante canibal

    A Folha desistiu de fazer jornalismo, mesmo. Tanto que publicou uma reporcagem, como se fosse notícia investigada e verificada, sobre um boato sobre restaurante canibal no Brasil.

    Daí o pessoal trabalhador do Opera mundi fez o trabalho de reportagem, mostrando que se trata de boato. E aproveitou para tripudiar a preguiça dos dublês de repórkers da Folha.

    No que fez bem. Pois, vá lá, para os caipiras e desinformados da Europa, achar plausível que haja tal coisa por aqui. Mas fica mal para um jornal nacional.

    Via Buzz do Idelber. Imagem daqui.
    Fonte: Animot

    Então não foi só a Falha, mas este Correio da Manhã também. Tsk, tsk, tsk...
    Jean Scharlau

    ResponderExcluir
  2. Oi Jean,
    O tal restaurante seria em Berlim...
    Achei que essa notícia poderia dar um bom roteiro para um filme sobre a decadência do capitalismo.
    Mais uma informação inútil: Bär é urso e lin é um diminutivo já em desuso. ä é lido mais ou menos como nosso e. Então, Berlin significa "ursinho".
    Bela cidade.
    Em 1981 comi um salmão com legumes ao lado da Alexanderplatz (http://pt.wikipedia.org/wiki/Alexanderplatz), então no lado oriental da cidade.
    Na época o muro ainda estava em pé.
    Comprei um pedaço do muro, porém deixei em Tübingen por achar um pouco incômodo trazer para o Brasil.
    Me arrependi.

    ResponderExcluir