DANCINHA

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

HOMENAGEM DE UM GREMISTA AOS AMIGOS COLORADOS EM UMA SEMANA DE ANGÚSTIA

Insterstício Expandido:

O REI DOS INTERSTÍCIOS

Viveu, eu não sei quando,

talvez nunca...
Mas o fato é que viveu,

um rei desconhecido
cujo reino era o estranho Reino do Interstício.
Era senhor daquilo que está entre a coisa e a coisa,
dos intra-seres, daquela nossa parte
que fica entre vigília e sono,

entre silêncio e palavra,

entre nós e a consciência de nós;

e assim um estranho e mudo reino

segurou aquele rei misterioso
segregado da nossa idéia de tempo e lugar.
Aqueles supremos desenhos que nunca chegam
a atuação - entre eles mesmos a inação -
Não coroado, governa. Ele é o mistério que
Fica entre os olhos e a visão, nem cego nem vidente.
Nunca teve fim nem principio,
vazia estante sobre sua presença vã.
É somente uma fenda em seu ser,
a caixa destampada que tem o não-tesouro do não-ser.
Todos pensam que ele é Deus, menos ele.

(Fernando Pessoa)


Obrigado Marcus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário