DANCINHA

sábado, 17 de outubro de 2009

Escândalo no futebol do Maranhão


O Maranhão entrou no mapa do futebol mundial com o escândalo que foi a rodada final do campeonato da segundona local, disputada quinta-feira. O tradicional Moto Clube, de São Luís, e o Viana disputavam a segunda e última vaga para subir à Primeira Divisão contra, respectivamente, o já classificado Quitéria e o Chapadinha, num torneio só com quatro times.

As duas equipes estavam empatadas em pontos, mas o time da capital, que havia sido rebaixado este ano, tinha melhor saldo, com dois gols a mais. No pequeno Estádio Daniel Filho, com capacidade para 3.265 pessoas, o Viana, que jogava em casa, vencia por 2 a 0 até os 35 minutos do segundo tempo. Enquanto isso, na capital, o Moto Clube ganhava por 3 a 0 do Quitéria, que havia começado o jogo com o presidente clube e prefeito da cidade, Menin Leal, de 52 anos. na equipe.

Foi aí que tudo começou. No Daniel Filho, os jogadores do eliminado Chapadinha pararam de correr. Resultado: o Viana fez nove gols em nove minutos, obtendo a vitória por 11 a 0. No primeiro turno, haviam empatado em 0 a 0.

Em São Luís, o Moto Clube teve três pênaltis marcados ao seu favor. Fez dois e perdeu um nos últimos dez minutos, e ganhou por 5 a 1, mas não superou o rival, o Viana, no saldo de gols.

O presidente do Viana, José Carlos Costa, não viu nada de anormal na partida: ''Foi normal o resultado. Assim como o Viana ganhou, o Chapadinha poderia ter vencido''. O presidente da Federação, Alberto Ferreira, disse que o caso ''desmoraliza'' o futebol local. Foi aberta sindicância.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário