DANCINHA

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Brasil anuncia-se como credor do FMI


O ministro da Economia, Guido Mantega, anunciou formalmente que o Brasil é credor de 10 mil milhões de dólares em bónus do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Trata-se da primeira vez na história que o Brasil deixará a condição de devedor para assumir o papel de credor da instituição financeira internacional.

O anúncio foi feito pelo ministro brasileiro, durante encontro com o director-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, na Turquia, informou a estatal Agência Brasil.

Guido Mantega oficializou a decisão do Governo brasileiro de assinar um Acordo de Compra de Notas (ACN) com o FMI, no valor de 10 mil milhões de dólares (6,82 mil milhões de euros).

Em Abril deste ano, o FMI convidou o Brasil a fazer parte dos países credores da organização multilateral e o governo brasileiro aceitou a proposta.

A operação da aquisição de bónus do FMI é lastreada em Direito Especial de Saque (DES), uma espécie de moeda do fundo, com juros pagos trimestralmente, baseados na taxa estabelecida pela instituição.

Essa taxa de juro é a média ponderada das taxas de juros de curto prazo dos Estados Unidos, da Zona do Euro, do Japão e Reino Unido, e actualmente está em 0,25 por cento.

O Ministério da Economia salientou num comunicado que o Brasil, apesar da crise económica global, não precisa de apoio financeiro do FMI e está em condições de emprestar recursos à instituição.

O comunicado sublinhou que o ACN é parte da decisão de ampliar a capacidade de empréstimo do FMI, conforme acordo dos líderes do G20.

jn

Um comentário:

  1. Que luxo! Que prazer ! E tudo graças ao trabalhador, nordestino com pouca cultura no entanto muita brasilidade.


    Abrs!

    ResponderExcluir