DANCINHA

quinta-feira, 7 de maio de 2009

BRITTO, YEDA E A GENERAL MOTORS


DENISE NUNES, PARA CORREIO DO POVO (07.05.2009)

GM DÁ EXPLICAÇÕES AO GOVERNO

Um encontro ontem entre as cúpulas da GM (o vice-presidente José Carlos Pinheiro Neto e o diretor Luiz Moan) e do governo (Yeda Crusius, secretários da Fazenda, Planejamento, Sedai e presidente do Banrisul) lembrou os tempos do governo Antônio Britto, quando os executivos de montadoras frequentavam o Palácio Piratini pelos fundos e a imprensa era impedida de entrar. Segundo o titular da Sedai, Marcos Biolchi, único que se dispôs a um tanto de educação e respeito à informação de interesse público (a GM negocia com o Estado um investimento incentivado de 1 bilhão de dólares), o motivo da reunião foi um só: a situação da operação brasileira (a 2ª melhor no ranking mundial da Chevrolet e 3ª da GM, afirmou) no contexto de crise da corporação. Até faz sentido: como o governo justificaria incentivos e financiamentos de vulto quando a fragilidade da GM mundial é um fato? Segundo Biolchi, está tudo bem no Brasil. Neste caso, por que fugir da imprensa?

Os grifos são do blog.



GM anuncia fechamento de fábricas e corte de 23 mil vagas nos EUA até 2011

BBC (28.04.2009)

A montadora norte-americana General Motors anunciou nesta segunda-feira que irá cortar cerca de 21 mil postos de trabalho nos Estados Unidos até o ano que vem, e mais 2 mil até 2011. A empresa também anunciou que abandonará uma de suas marcas mais tradicionais, a Pontiac, até o final de 2010.



Fiat quer adquirir atividades da GM na América Latina

UOL

MILÃO, Itália, 5 Mai 2009 (AFP) - A montadora italiana Fiat está em negociações para adquirir as atividades na América Latina da americana General Motors (GM), informaram nesta terça-feira à AFP fontes industriais.

"A Fiat quer adquirir as atividades da GM na América Latina", afirmou uma das fontes, segundo a qual "as negociações já começaram".

Nenhum comentário:

Postar um comentário