DANCINHA

sábado, 6 de dezembro de 2008

Estrelas do futebol europeu cozinham contra fast-food


Vinte por cento das crianças suíças são obesas. Na Europa são 20 milhões. Na Suíça e em vários outros países discute-se a proibição da publicidade de "junk-food". Treze estrelas do futebol cozinham contra "fast-food".

Para proteger crianças com menos de 16 anos contra uma alimentação prejudicial à saúde, duas organizações suíças de defesa do consumidor pedem uma proibição parcial da publicidade de comida não saudável.

A campanha é patrocinada pela Organização Internacional de Defesa do Consumidor (Consumers International), que elaborou diretrizes a serem apresentadas no início do ano que vem à Organização Mundial de Saúde (OMS), em Genebra.

Governo lava as mãos

A esperança da Fundação de Defesa do Consumidor (SKS, na sigla em alemão), que reivindica do governo suíço uma diretiva nesse sentido, até agora foi frustrada. "No momento, não temos a intenção de restringir a publicidade de alimentos", informa a Secretaria Federal de Saúde, acrescentando que confia na auto-responsabilidade dos consumidores e da indústria.

"Essa posição das autoridades me deixa perplexa e decepcionada", diz a presidente da SKS, Simonetta Sommaruga, à swissinfo. Isso porque se sabe que a obesidade é hoje é um grave problema de saúde infantil. "Precisamos do apoio das autoridades para a nossa campanha", diz Sommaruga.

Mesmo assim, ela vê chances para a campanha por ser internacional. Além disso, autoridades de outros países "são mais abertas do que as nossas na Suíça. Os problemas de saúde das crianças obesas atingem a todos e custam muito à sociedade. Por isso, temos de chegar a um consenso", afirma a presidente da SKS.

Pasta à Cannavaro

Um apoio indireto à campanha vem de outro lado. A União Européia de Futebol (Uefa) e a Federação Mundial do Coração lançaram, com apoio da União Européia, o livro de culinária Eat for Goals!, com a participação de 13 estrelas do futebol (entre elas, três mulheres).

Um pacote de pasta, 6 tomates, 2 beringelas, 12 olivas pretas, 4 colheres de sopa de óleo, manjericão, alcaparras, 2 cebolas, 4 dentes de alho – assim Fabio Cannavaro, zagueiro do Real Madrid e capitão campeão mundial da seleção italiana, prepara seu "espaguete à siciliana". Uma receita simples e sem gordura.

Também estrelas como Thierry Henry e Carles Puyol (ambos do Barcelona), Ruud van Nistelrooy (Real Madrid), Lukas Podolski ou Miroslav Klose (ambos do Bayern de Munique) fornecem a lista detalhada dos ingredientes e instruções precisas para preparar 13 pratos saudáveis e gostosos para crianças.

"O livro mostra a jovens jogadores e torcedores de futebol como cozinham e comem os campeões", diz o capitão do FC Liverpool, Steven Gerrard.

Nenhum jodador disse "não"

Foi relativamente fácil convencer as 13 estrelas a participar do projeto do livro, disse o diretor de projetos sociais da Uefa, Patrick Gasser, à swissinfo. "Nenhum dos craques disse não. Contatamos os clubes e então os jogadores e foi fácil obter as receitas."

A seleção dos jogadores é mais ou menos representativa da Europa, mas nenhum suíço foi escolhido. Será porque Tranquillo Barnetta, atacante da seleção helvética, faz propaganda para do McDonald's? Gasser ri: "Isso não teve nada a ver. Temos 53 federações ligadas à Uefa. Engajar um jogador de cada país teria extrapolado os limites do projeto."

Pressão sobre o McDonald's

As diferentes campanhas contra obesidade e o fato de hoje existirem mais de 20 milhões de crianças com esse problema na Europa aumentam a pressão sobre o McDonald's. A Grã-Bretanha já aprovou restrições legais à publicidade de alimentação gordurosa. Também em outros países aumentam os pedidos de proibição da publicidade de fast-food, especialmente em programas televisivos infantis.

Desde que a OMS declarou a obesidade com epidemia mundial, a multinacional norte-americana está cada vez mais na mira das autoridades sanitárias e da medicina preventiva.

Por enquanto, o faturamento do McDonald's, que tem 56 milhões de clientes diários, continua aumentando (6% no terceiro trimestre de 2008). Mas a sede mundial da empresa acompanha com atenção as campanhas contra comidas gordurosas.

Neste ponto, com suas dicas de receitas, Cannavaro, Gerrard, van Nistelrooy, Henry, Klose e Podolski podem ser mais perigosos para o McDonald's do que para os goleiros dos adversários em campo.

swissinfo, Jean-Michel Berthoud

Nenhum comentário:

Postar um comentário