DANCINHA

segunda-feira, 21 de julho de 2008

OS GRANDES CULPADOS


Juremir Machado da Silva:

Um final de semana de reflexão me fez compreender o óbvio: só não vê quem não quer. Como diz o ditado, o pior cego é o que não quer ver para não enxergar. Os grandes culpados pelos nossos males estão bem diante dos nossos olhos. Qualquer um que tenha equilíbrio e não esteja desvirtuado por ideologias ou interesses pessoais é capaz de listar esses culpados sem qualquer margem de erro. É só uma questão de honestidade intelectual e de objetividade. Pegue-se qualquer um destes problemas – caso Daniel Dantas, infrações de trânsito, acidente na construção do metrô de São Paulo, corrupção, financiamento ilegal de partidos no Rio Grande do Sul, adultério –, e o culpado será facilmente identificado.
Quem é o grande culpado pelas infrações de trânsito em Porto Alegre? O azulzinho. Ele e as multas que aplica. A prova é que, depois do surgimento de azulzinho, o número de infrações punidas subiu muito. Quem foi o culpado pela cratera no metrô de São Paulo que resultou em sete mortos? O terreno. Afinal, foi o terreno quem cedeu sem avisar, invalidando os cálculos irrefutáveis dos engenheiros. Com isso, evita-se de cometer injustiça com uma inocente apontada até então como o principal suspeito: a rocha gigante. Quem são os culpados pela situação do pobre e sofrido Daniel Dantas? As escutas telefônicas e as provas ilegais. Quem é o insuportável culpado pela suspeita em relação à conversa amigável entre os secretários da Presidência da República e o advogado petista de Daniel Dantas? O delegado Protógenes Queiroz. Esse homem é muito perigoso. Não tem respeito algum. Onde já se viu grampear o secretário do chefe?
Quem é o maior culpado pela imagem de decadência moral das nossas elites? As decisões do STF privilegiando os ricos? Claro que não. Isso é puro desconhecimento dos complexos mecanismos da ciência jurídica. O culpado é um só. Aliás, culpadas: as algemas. Basta parar de algemar pessoas de bens e daremos um salto moral. Quem é o culpado pelo uso de organismos públicos para financiar partidos políticos no Rio Grande do Sul? O gravador do vice-governador Paulo Feijó. Ainda bem que as forças vivas (nalguns casos, moribundas) da Nação estão pensando em medidas justificadas e eficazes para punir os culpados: redução de escutas telefônicas, restrição à utilização de algemas, combate à 'indústria da multa', afastamento do delegado Protógenes Queiroz para um imperativo curso de aperfeiçoamento pessoal, que o ensine a não escutar conversas dos assessores e amigos do chefe e, especialmente, eliminar propinas ou incentivos a votações em parcelas mensais. Está liquidada a fatura.
Quem é o grande culpado pela violência no Rio de Janeiro? A Polícia? Os traficantes? Os consumidores de drogas? O crime organizado? Não sejamos simplórios nem maniqueístas. É evidente que são as balas perdidas. Basta ver o estrago que causam matando inocentes. São balas vagabundas sem ética nem treinamento adequado. É por isso que os bandidos já estão se armando para usar mísseis teleguiados. A Polícia, com alguns anos de atraso, também chegará lá. Não entendo como se demorou tanto tempo para tomarem essas providências elementares. Como dizem os policiais, havia antecedentes. Como dizem os juristas, havia jurisprudência. Enfim, em linguagem popular, exemplos domésticos. Afinal, todo mundo sabe que o maior culpado pelos adultérios sempre foi o sofá da sala.

juremir@correiodopovo.com.br

Um comentário:

  1. Pesquei este comentário para meu Blog. www.guerrilheirosvirtuais.blogspot.com
    se houver qualquer problema pls avise.
    Saroba

    ResponderExcluir